O quanto você ama seu corpo?

Vamos amar nosso corpo da forma que ele é, pois a natureza é perfeita em sua imperfeição. Não existe um galho de arvore que seja totalmente reto e liso, então por que nossos corpos devem ser perfeitos sem celulite, sem estrias, sem pelos e diria que… sem graça! A graça do nosso corpo esta na história que ele conta, na ruga que apareceu com a maturidade, na gordurinha na barriga que revela que foi capaz de gerar vida, na cicatriz da cesária necessária para manifestar a vida.
Por que mesmo nossos seios precisam ser grandes e durinhos? Podemos lançar moda e amar os seios pequeninhos que nem sequer necessitam de um sutiã para aperta-los, mulheres sortudas essas! Ou podemos também lançar moda para amarmos os seios grandes porem caídos, seios desiguais, seios de todos os jeitos afinal, a beleza estar em ter seios que podem jorrar néctar em forma de leite para amamentar nossos filhos. E quando não temos filhos, jorramos o amor, sortudos aqueles que conseguem perceber essa magia! Essa é a verdadeira beleza dos seios!
Por que nossas vaginas devem ter uma simetria perfeita e ser pequenininha? Uma conta não bate aí, homens querem ter pauzão e mulheres xoxotas minusculas….certamente o encaixe não vai dar certo… para conta bater, homens devem ter um pau de qualquer tamanho que seja sensível ao toque de uma vagina e ambos deveriam trabalhar o assoalho pélvico, pois um assoalho forte garante boas brincadeiras sexuais, previne uma possível impotência e incontinência. Vaginas assim como pênis são assimétricos, e a graça esta na particularidade de cada um.
E por falar em vagina, que fique claro que por ser uma mucosa produz muco! Muco transparente e também muco branco. Sim temos muco branco e se não tiver cheiro forte ou coceira é totalmente normal! Por falar em cheiro, vamos amar nosso cheiro natural, cheiro de feromônio, cheiro de vida! Sabonete intimo ou qualquer outra invenção perfumada que mascare nosso aroma natural só ira desequilibrar nossa linda flora vaginal.
Cada mulher que consegue amar sua menstruação, se livra de milhões de paradigmas e se conecta absurdamente com a natureza. O sangue menstrual é rico em nutrientes perfeito para adubar a terra, a vida que não cresceu no nosso ventre, pode crescer no solo em forma de arvores, ervas e flores. “Plantar a sua lua” é curador, é libertador! Viva as mulheres que menstruam e amam seus ciclos, por que enxergam neles um portal de sabedoria.
Dou um viva ainda maior as mulheres que se amam da forma que são, que se embelezam para si, por que sabem se valorizar, assim como cuidamos de um jardim para nós mesmas, é gostoso estar em um jardim bonito e é gostoso agente se sentir bonita com todos as “imperfeições” que a natureza ou a vida nos deu.
Desejo que o autocuidado acorde em cada mulher que lê esse texto, desejo que a autoresponsabilidade seja entendida como uma forma de perceber que nossos defeitos, podem ser uma oportunidade de crescimento e que quando nos aceitamos deixamos de alimentar a industria que escraviza mulheres impondo padrões fakes de beleza. Desejo que amem tudo aquilo que a faz mulher: seu ciclo, sua vagina, seu muco, sua menstruação, seu seios no formato que tiverem, seu útero que pariu e a sua barriga que revela que também é mãe!
Texto: Divya PremImagem: Andrea Tolaine

Próximo postRead more articles